Motörhead: Lemmy Kilmister comentou a relação do nome da banda com as drogas

  • 23/01/2023
  • 0 Comentário(s)

Motörhead: Lemmy Kilmister comentou a relação do nome da banda com as drogas

Por André Garcia via Whiplash.Net

Ao longo do mais de meio século de história do rock, podemos citar muitos casos de bandas personificadas em um de seus membros: Jim Morrison/The Doors, Lou Reed/Velvet Underground, Frank Zappa/Mothers of Invention, Alice Cooper/Alice Cooper… À frente do Motörhead, Lemmy Kilmister levou isso ao volume 11 — Lemmy era o Motörhead e o Motörhead era Lemmy; e quem discordar está errado!


Em 2005, o baixista deu uma entrevista para Sam Dunn, disponível no YouTube, parte do documentário Headbanger's Journey. Com muita sinceridade e pouca sutileza, como sempre, entre outras coisas, ele respondeu à acusação de ter se vendido.

Ao ser questionado sobre os ingredientes básicos do rock n roll, a resposta foi: "Você que ser interessante de se ver, não pode ficar lá parado olhando para o chão, como muitos músicos por aí. Você tem que ser um ator, na real. E tem que tocar bem alto também. E tem que saber o que está fazendo com o instrumento, porque isso não dá para fingir."

Sobre o Motörhead ter sido considerado nos anos 70 mais rápido que as outras bandas, ele respondeu com seu habitual humor ácido.

"Provável que a gente tenha usado mais speed do que todo mundo... Quando tinha turnê, naquela época, era 53 shows em 56 dias, sabe, pela Inglaterra com o Saxon. Nem f*dendo que você dá conta apenas com a adrenalina e a emoção da vida, você precisa de uma ajuda. Mas, ao mesmo tempo, era algo puramente recreativo."

Para quem não sabe, foi inclusive daí que ele tirou o nome da banda, após ser preso portando estimulantes ilícitos. "[Motörhead] era uma gíria para speed freak [viciado em speed]. Se você pegar os discos do Mothers of Invention lá atrás, vai ver James 'Motorhead' Sherwood."

Lemmy arrematou a entrevista com a filosofia do Motörhead: "Nos divertir e fazer todo mundo se divertir, se pudermos. Se não pudermos, é cair fora, meter o pé. Basicamente, só queremos ser rápidos, barulhentos e insuportáveis para fazer todas as pessoas insuportáveis da plateia vibrarem. Parece estar funcionando até agora. Eu estou muito feliz. Estou fazendo o que eu sempre quis fazer. Estou curtindo muito."

Conteúdo Original Whiplash.Net


#Compartilhe

0 Comentários


Deixe seu comentário








Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Anunciantes